segunda-feira, 10 de maio de 2010

Subtil cécité

Quando os olhos se abrem, vêem laços. Vêem cerdas que são minhas e do travesseiro. Meus pulmões sobreviverão, embora haja tanta fumaça. Meu coração, no entanto, há de apagar-se; meu lumiar se encerrará. Há tanto para ver, mas meus olhos míopes alcançam apenas a distância do palmo à frente, nada mais. Por isso o chamo de 'meu mundo', 'meu futuro', 'meu mundo', porque é tudo que seu olhar profundo me mostra. E o infinito é tudo que posso ver.

Um comentário:

Dual disse...

Rieccomi a gironzolare nel tuo blog e lasciarti un salutino. Buona giornata
Gio'
http://remenberphoto.blogspot.com/